22 de mai de 2009

A ILUSÃO DAS RIQUEZAS

O que há em comum entre as falcatruas de alguns políticos, sonegação de impostos do setor privado,a multiplicação de jogos de azar e conseuqnetemente de apostadores. Um aspecto interliga essas realidades, o afã de ser rico, de ter muito dinheiro, de aucmular bem, de multiplicar posses.
Nada de errado em querer ser rico. É bem natural que todos queiramos ter uma estabilidade financeira que proveja para os nossos as necessidades básicas e ainda um pouco mde conforto. É justo.
O quadro sai da normalidade quando o objetivo é unicamente esse, enriquecer-se, abastar-se e, pronto. Acumular para ter mais que o outro e assim humilhá-lo; quando partilhar, dividir, solidarizar-se deixam de ser palavras traduzidas em ações.
Embora todos saibam que "muito dinheiro" não é garantia de felicidade, saúde e longevidade, todos se deixam impeli por esta sanha.
O evangelho conta a história de um homem muito rico que deixou abarrotados seus celeiros e disse para si, dorme em paz minha alma. Este homem é severamente repreendido pelo Senhor que diz, hoje mesmo morrerás. Isso para mostrar a fugacidade dos bens materiais.
No próximo post vamos ver qual é o fim do acúmulo de riquezas. Você deixar aqui sua opinião sobre o tema.
Até o próximo post, então.

Nenhum comentário: