12 de nov de 2014

Mobilidade de passageiros comprometida no Terminal de Antonio Bezerra


Terminal de Antonio Bezerra. Foto: Marcos Moura 

O novo Terminal do  Antonio Bezerra foi inaugurado em setembro de 2014 e teve sua área ampliada de 12 mil m² para 29 mil m². Passa pelo local, por dia, uma média de 200 mil pessoas que fazem embarque e desembarque nas 46 linhas de ônibus do terminal.

Um dos desafios no novo equipamento é a presença de vendedores não credenciados espalhados em locais que acabam por comprometer a mobilidade das pessoas no terminal. Muitos colocam os produtos à venda nos bancos disponibilizados para os passageiros, outros colocam mini-bancas nos túneis ou ainda espalham mercadorias no corredor usando a grade como mostruário.

Vendedores irregulares ocupam
bancos destinado a passageiros.
 Foto: Vanderlúcio Souza
“A Prefeitura formalizou o cadastro dos ambulantes mais antigos, com a restrição de venda para produtos de bomboniere e artesanato. O processo foi definitivo e não há criação de vagas para tal serviço. Os demais ambulantes que atuam nos terminais não possuem autorização”, informou a Etufor, em nota, que responde pela administração dos terminais. 

O problema é conhecido da Etufor. “A Prefeitura está mantendo reuniões constantes com os órgãos de segurança e as regionais para articular uma atuação de combate ao comércio irregular”. Assim que a data das ações forem definidas serão divulgadas. “Esperamos que isso seja resolvido o mais breve possível pois acaba atrapalhando um pouco as nossas vendas”, diz Maria do Socorro,29,  que trabalha em um dos 30 boxes regularizados do Terminal. Teresa Sousa,21, estudante, destaca a dificuldade de andar em alguns locais no equipamento em alguns horários, “especialmente nos momentos de pico. Muitos se aglomeram procurando vender seus produtos  e atrapalham a circulação dos passageiros”.

Outro problema relatado por frequentadores do terminal é a presença de pedintes. “Muitos deles nos abordam drogados e acabam por nos intimidar, principalmente durante a noite”, disse Maria Lúcia, 61,  comerciante. “Por medo evito passar pelos túneis em alguns horários”, complementa.
Pedintes abordam passageiros nas filas.
Foto: Vanderlúcio Souza 

Sobre este problema a Etufor informa que “encaminha as demandas aos órgãos sociais e de segurança, que são competentes para lidar com esse público. Atuam por exemplo a Coordenadoria de Combate as Drogas, a SETRA, a Guarda Municipal, Polícia Militar, entre outros”.

O terminal de Antonio Bezerra foi criado em 1992 no Governo do Prefeito Juraci Magalhães. O novo terminal conta com plataformas com piso industrial, cobertura em estrutura metálica e pavimento rígido para circulação de ônibus. No total, são duas plataformas de embarque e desembarque e uma para a Administração, todas com amplas áreas para circulação de passageiros, com estações para receber os ônibus articulados e os convencionais.

Vanderlúcio Souza
Delane Silva