26 de jan de 2009

DE QUEM É A CULPA?

Jovem é mantida como refém pelo ex-namorado em apartamento, no bairro Santo Amaro, São Paulo. O desfecho da história foi trágico e o Brasil acompanhou o caso passo a passo e perg

untou-se, de quem foi a culpa? Uns dizem que foi da polícia, devido à má condução nas negociações e invasão do cativeiro; outros afirmam que a culpa foi da imprensa pela forte exposição do caso tornando o jovem delinqüente no “príncipe do gueto”, como ele mesmo afirmara; outros ainda afirmam que a culpa foi da família por ter deixado a jovem namorar com um rapaz bem mais velho.

Outra barbárie noticiada, também em São Paulo: homem mata a mãe, atira na esposa, nos três filhos e suicida-se. Os vizinhos do casal, de classe média procuram uma resposta que possa explicar aquela tragédia familiar. De quem teria sido a culpa daquele ato violento? Dos remédios e drogas consumidos pelo homem que ensandeceu?

Afinal, de quem é a culpa por tanta violência? Seria a falta de policiamento? Ou o descaso do poder público ao negligenciar políticas para a juventude? Seria a falta de emprego e oportunidade para o empreendedorismo? Ou o próprio meio social violento no qual estão inseridos boa parte da população?

A resposta a todas essas questões ainda não esclarecem a verdadeira causa de tanta violência. Caso todos os problemas sugeridos nas perguntas acima fossem solucionados, ainda assim a violência continuaria a ceifar vidas, pois ela nasce dentro do coração do homem.

O homem e, consequentemente, a sociedade que retira Deus de seu horizonte é o culpado pelo crescimento da barbárie. Quando os olhos cambiam do essencial para o secundário, automaticamente, perde-se a noção de valor, de respeito e da ética. Daí vê-se surgir uma sociedade despersonalizada e contraditória na defesa de seus interesses. Esta é capaz de penalizar quem destrói ovos de tartarugas ao mesmo tempo em que luta pela descriminalização do aborto; chora os filhos tragados pelas drogas e, concomitante é a favor da legalização da maconha; É contra a pedofilia, mas erotiza os infantes e defende o sexo livre, cada vez mais cedo.

Quando a pessoa retira de sua vida a esperança e a certeza da existência da vida eterna, perde-se a persistência em se fazer o bem, logo, não tem valor aquilo que está fora de meus interesses, forma-se em então um ambiente propício à violência e sua proliferação.

Agora, quando Deus faz parte do sentido de vida de uma pessoa e de uma sociedade o bem é possível e se este é possível o homem pode tornar-se ainda mais quem ele é, um ser racional, capaz de Deus, logo, capaz de amar, de superar limitações, de doar-se.

O amor também nasce no coração do homem e só ele pode suplantar a violência. Temos, portanto, duas realidades que se digladiam dentro de si, vence aquela a quem mais dermos força. Cabe a cada um escolher e decidir-se amar para acabar com a violência.

Vanderlúcio Souza

25 de jan de 2009

A TROCA



O filme A Troca é um dos melhores da temporada. O enredo conta a história, baseada em fatos reais de Christine Collin (Angelina Jolie), uma mãe que perde seu filho. Daí começa uma incessante busca por Walter Collin. O drama envolve o departamento de polícia de Los Angeles, um reverendo que combate a corrupção deste departamento e um assassino sereal.

Vale a pena conferir o filme que tem como diretor Clint Eastwood.

19 de jan de 2009


ORIGEM DE ALGUMAS EXPRESSÕES




Bem pessoal, esse post traz algumas dentre as inúmeras que pronunciamos ou escutamos no dia a dia. Aí vai a origem destas frases que se incorporaram à nossa língua portuguesa.


"CALCANHAR DE AQUILES": De acordo com a mitologia grega, Tétis, mãe de Aquiles, a fim de tornar seu filho indestrutível, mergulhou-o num lago mágico,segurando-o pelo calcanhar. Na Guerra de Tróia, Aquiles foi atingido na única parte de seu corpo que não tinha proteção: o calcanhar. Portanto, o ponto fraco de uma pessoa é conhecido como calcanhar de Aquiles.


"VOTO DE MINERVA":Orestes, filho de Clitemnestra, foi acusado pelo assassinato da mãe. No julgamento, houve empate entre os acusados. Coube à deusa Minerva o voto decisivo, que foi em favor do réu. Voto de Minerva é, portanto, o voto decisivo.


"ERRO CRASSO": Em 59 a.C, o poder em Roma foi dividido entre três figuras: Júlio César, Pompeu Magnus e Marco Licinius Crasso. Enquanto os dois primeiros eram notáveis generais, que ampliaram os domínios romanos, Crasso era mais conhecido pela sua riqueza do que por seu talento militar: César conquistou a Gália (França), Pompeu dominou a Hispânia (Península Ibérica) e Jerusalém, por exemplo. Crasso tinha, assim, uma idéia fixa: conquistar os Partos, um povo persa cujo império ocupava, na época, boa parte do Oriente Médio - Irã, Iraque, Armênia e outros, conta o professor de Letras da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) Robert Levonian.

À frente de sete legiões, ou 50 mil soldados, confiou demais na superioridade numérica de suas tropas. Abandonou as táticas militares romanas e tentou atacar simplesmente - na ânsia de chegar logo ao inimigo, cortou caminho por um vale estreito, de pouca visibilidade. As saídas do vale, então, foram ocupadas pelos partos e o exército romano foi dizimado - quase todos os 50 mil morreram, incluindo Crasso.


"NÃO ENTENDO PATAVINAS":Os portugueses encontravam uma enorme dificuldade de entender o que falavam os frades italianos patavinos, originários de Pádua, ou Padova, sendo assim, não entender patavina significa não entender nada.


"SEM EIRA NEM BEIRA":Os telhados de antigamente possuíam eira e beira, detalhes que conferiam status ao dono do imóvel. Possuir eira e beira era sinal de riqueza e de cultura. Não ter eira nem beira significa que a pessoa é pobre, está sem grana.


"BANHO MARIA": é um método utilizado tanto na cozinha como em laboratórios químicos e na indústria (farmacêutica, cosmética, conservas, etc.) para aquecer lenta e uniformemente qualquer substância líquida ou sólida num recipiente, submergindo-o noutro, onde existe água a ferver ou quase. O processo recebe o seu nome em honra da famosa alquimista, Maria, a Judia. Neste processo, as substâncias nunca são submetidas a uma temperatura superior a 100º C, já que a partir dessa temperatura, todo o calor transferido para a água é convertido em energia cinética nas moléculas da água, formando-se vapor de água.

16 de jan de 2009

SOBRE A ESPERANÇA, por Bento XVI

"Precisamos das esperanças – menores ou maiores – que, dia após dia, nos mantêm a caminho. Mas, sem a grande esperança que deve superar tudo o resto, aquelas não bastam. Esta grande esperança só pode ser Deus, que abraça o universo e nos pode propor e dar aquilo que, sozinhos, não podemos conseguir. Precisamente o ser gratificado com um dom faz parte da esperança. Deus é o fundamento da esperança – não um deus qualquer, mas aquele Deus que possui um rosto humano e que nos amou até ao fim: cada indivíduo e a humanidade no seu conjunto. O seu reino não é um além imaginário, colocado num futuro que nunca mais chega; o seu reino está presente onde Ele é amado e onde o seu amor nos alcança. Somente o seu amor nos dá a possibilidade de perseverar com toda a sobriedade dia após dia, sem perder o ardor da esperança, num mundo que, por sua natureza, é imperfeito. E, ao mesmo tempo, o seu amor é para nós a garantia de que existe aquilo que intuímos só vagamente e, contudo, no íntimo esperamos: a vida que é « verdadeiramente » vida. Procuremos concretizar ainda mais esta ideia na última parte, dirigindo a nossa atenção para alguns « lugares » de aprendizagem prática e de exercício da esperança".

12 de jan de 2009





AONDE VAMOS PARAR?





HONRA DE BANDIDO

Na linguagem dos delinqüentes uma frase caracteriza o início de sua ação: “Isso é um assalto vagabundo”. Para o meriante vagabundo é o outro, na maioria das vezes uma pessoa honesta e trabalhadora.
Uma faca, um revólver ou outra arma torna-se o respaldo da honra do bandido em sua ação. Nela ele põe sua segurança; arroga-se de credor da vítima e deste rouba-lhe por primeiro a liberdade em seguida os bens.
Devido a onda crescente de violência vemos a sociedade divide-se entre as pessoas de bem e os bandidos, marginais. Contudo o objetivo deste artigo não é dividir binariamente a sociedade nestas duas classes, mas ressaltar que, também, as pessoas ditas, de bem, muitas vezes agem com certa honra de bandido.
Quando se atrela o valor da honra a algo exterior ao sujeito como a um cargo, uma função, uma informação e se isso é utilizado contra o outro, pouco a pouco a pessoa deixa de ser aquele cidadão de bem que imaginava o iludia-se ser.
À direção de um carro, por exemplo, uma pessoa pode sentir-se melhor em detrimento às demais o que não é verdade.
A honra de bandido faz pensar que se é melhor que o outro absoluamente. Faz pensar que todos são nossos devedores.
Tal perigo assola todos os segmentos da sociedade, inclusive, o religioso. Alguém pode sentir-se mais próximo de Deus pelo cargo, chamado ou serviço prestado. Quando isso possui o coração da pessoa ela enxerga o próximo como um menos favorecido pela graça, erro crasso.
Nossa honra tem seu valor naquilo que somos, e todos são dignos de terem-na respeitada. A honra não cresce ao lhe agregar elementos exteriores ao sujeito.
O mandamento primaz de Jesus, ama teu próximo como a ti mesmo, encerra em seu imperativo o dever de honrar o próximo, bem como o direito de ter sua própria honra respeitada.
Nesta perspectiva a honra adquire seu valor objetivo que está ligado à condição da filiação divina, portanto, bem diferente da perniciosa e ilusória honra de bandido.

Vanderlúcio Souza

Para tudo se tem um jeito.









11 de jan de 2009

SETE VIDAS


O filme Sete Vidas, estrelado pelo ator mais rentável de Hollywood não agradou. Apela para o melodramático e deiuxa a desejar no roteiro, parece-me que o entrecortes e flashback causaram um efeito negativo ao filme deixando-o confuso. Mas para mim, o pior mesmo foi o final (contém Spoiler), o filme faz uma apologia ao suicidio. O cara tenta reparar um ato irresponsável de seu passado através de um, que a primeira vista parece ser muito autruísta, mas não tem nada disso.
Foi terrível chegar ao final e assitir aquele desfecho.















DE CARA NOVA

Olá! o Blog tá de cara nova pessoal e nesse novo domínio. O conteúdo é o mesmo, espero que curtam e possam visitar mais vezes esse espaço da nossa blogosfera. Flw!
Vanderlúcio