19 de mai de 2009

A DITADURA DO RELATIVISMO

A pós - modernidade recebeu o decalque do relativismo atroz e voraz. Ele nega toda possibilidade de existir algo absoluto, constante e imutável além de criticar causticamente pessoas e instituições que defendam tais valores. Deste modo, cada um vive sob a máxima do filósofo Protágoras, “o homem é medida de todas as coisas”.
Assim o caos está prestes a formar-se, pois se todos se puserem a fazer o que querem e como quiserem a ética é ameaçada e as relações interpessoais são comprometidas.
O Relativismo prático vem acompanhado do materialismo, hedonismo e consumismo dentre outras vertentes cujo mal maior é distanciar o homem de sua própria identidade.
Os efeitos dessa ditadura do relativismo na sociedade é a indiferença para com o outro, o crescimento da violência, da desonestidade, a coisificaçao do homem, a minoração do valor da vida.
É impossível uma vida equilibrada pessoal e comunitariamente sem as realidades da constancia , da essência permanente. Que fale por nós a natureza. Esta segue um curso, é regida por um conjunto de leis e quando de alguma forma é afetada, as conseqüências são desastrosas, Por que seria diferente com o homem?
O relativismo é um mau que cresce e assolapa os valores e princípios basilares que sustentam a sociedade. É um risco para todos. Somente ancorados no porto seguro que abriga a existência do absoluto é que se pode sobreviver a esses dias maus.

Nenhum comentário: