15 de jan de 2012

Mulher encontrada morta na Pedra da Macumba

O crime de Geralda Guabiraba chamou a atenção da opinião pública. Na noite do dia 14 de fevereiro a dona de casa de rotina pacata foi  assassinada em Mairiporã no local conhecido como pedra da macumba, próximo a uma região verde e destino de muitos despachos, rituais próprios de algumas seitas afro-descedentes como a macumba, daí o nome da pedra.

A Polícia Civil ainda não desvendou o crime e investiga-o sob segredo de justiça, mas a rede Record se saiu com uma versão que busca associar o assassinato macabro da dona de casa com a crença da mulher em Luzia, uma santa católica que segundo a história de sua morte teve seus dois olhos arrancados pelos algozes.


Em uma extensa reportagem exibida no programa Domingo Espetacular, o jornalismo da emissora de Edir Macedo cria uma trama  na tentativa de apresentar o assassinato de Guabiraba como um ritual possivelmente católico.

A matéria mostra imagens exclusivas da dona de casa no elevador de seu prédio e quando sai em seu carro quase meia-noite com uma sacola, possivelmente portando os cestos que horas depois foram encontrados sobre seu corpo já falecido. Segundo a matéria, um terço foi colocado no pescoço de Geralda após seu assassinato. 

Em outro trecho da reportagem, um cientista da religião é indagado se a assinatura da morte de Geralda (corpo de braços abertos com olhos arrancados e terço sobre o pescoço) denuncia o assassino como membro de uma seita católica. O cientista negou e foi claro ao afirmar que possivelmente quem fez isso é conhecedor da religião católica.

A pergunta do repórter foi no mínimo mal elaborada. Não existe seita católica. Outro dado importante que a matéria tendenciosa e inconsistente não considerou, a única expressão religiosa brasileira que utiliza as representações sacras da igreja católica como os santos, água benta e terço entre outros elementos relacionados a despachos e a rituais aos espíritos são as de matriz afrodescendente,em especial a macumba, que apresenta histórico de seções macabras de oferendas de animais e, já registrado, de pessoas.  Bem que o repórter poderia ter lido antes de fazer a  matéria o livro  Orixás, Caboclos e Guias:Deuses ou Demônios, de seu chefe, o  bispo Macedo. Contudo, somente a Polícia Civil poderá dizer quem foram os culpados, fora disso, tudo é especulação. 

Em nota, o secretário de comunicação da Arquidiocese de São Paulo, Rafael Alberto,  foi categórico, "a Igreja Católica Apostólica Romana não possui, não pratica, nem aprova qualquer tipo de rito satânico e de magia negra, ou de práticas que ocasionem a perda da vida de seus praticantes". E mais: "Tal ilação [dedução] poderia até mesmo prejudicar as investigações para se chegar aos verdadeiros autores do crime".

É repudiável a sequente tentativa da TV Record, uma concessão pública , em eivar a instituição católica ao apresentá-la continuadamente sob uma visão negativa à opinião pública sob o véu de um jornalismo ético e imparcial.  

Fotos vazadas

O G1 noticiou que o esforço da Polícia concentra-se em rastrear os IPs  (espécie de assinatura eletrônica) que disseminaram na internet fotos da cena do crime da dona de casa. O objetivo é resguardar a família de mais este sofrimento segundo a delegada Claudia Patrícia Dalvia que leva o caso adiante.

Por respeito à família e à memória de Geralda o blog não publicará estas imagens.

Matéria exibida na Record, aqui.

Nenhum comentário: