18 de jun de 2011

Marcha contra a maconha

E dizem que não faz mal
O presidente da CNBB, cardeal dom Raymundo Damasceno defendeu ontem, em coletiva, que a sociedade deveria se organizar e fazer uma marcha contra a maconha.


Segundo o bispo, o usuário não deve ser criminalizado e isto a lei já garante. A igreja trabalha na prevenção e no tratamento de dependentes através das várias comunidades terapêuticas.


Para os pueris defensores da erva olha o que diz uma reportagem da Folha de São Paulo colocando em paralelo a maconha e o tabaco. "Os cientistas, liderados por David Moir, do Programa de Controle de Tabaco, encontraram na fumaça inalada de maconha uma quantia de amônia igual à de 20 cigarros. Os níveis de cianeto de hidrogênio e de óxido nítrico --que afetam coração e pulmões- apareceram em concentrações três a cinco vezes superiores".







Nenhum comentário: