26 de fev de 2009

Que vença o homem novo

A Campanha da Fraternidade traz em sua 45ª- edição aborda a temática fraternidade e segurança pública, tema de extrema importância e relevância nos dias atuais em que se observa o crescimento da violência em todos os seus níveis e com ela os requintes de crueldade.
A campanha da fraternidade, situada na época da quaresma conclama todos a refletir e dar uma resposta a essa onda sangrenta que avança sobre a sociedade. Trata-se de um problema de todos e não apenas de algumas instituições ou das autoridades.
Sobre a questão da falta de segurança pública não se pode pensar que o problema seja resolvido somente com mais aparato policial nas ruas ou criando medidas punitivas mais rigorosas.
A Igreja faz a sua parte em lançar o apelo e desenvolver projetos que podem iluminar os órgãos públicos em várias dimensões. Sua presença, ainda que velada ou pouca compreendida é constante no meio penitenciário, na defesa da vida, na recuperação de adictos da droga e ressocialização de egressos do regime penitenciário.
É hora de unir forças, somar idéias, dar concretitude às palavras. Através do diálogo, o novo nome da caridade, segundo o memorável João Paulo II , se pode construir um novo na sociedade.
Para se obter êxito nessa Campanha é imprescindível o empenho de cada um, pois sem ele a roda não gira,atravanca e atrasa deste modo o verdadeiro progresso da humanidade, aquele que é interior; que brota das salubres relações inter-pessoais.
A violência nasce, antes de tudo, no coração do homem. Contudo, também a paz nasce nesse mesmo coração. Temos, então, na comparação bíblica Paulina o homem velho e o homem novo que se digladiam dentro de si. Vence, no entanto, aquele a quem dermos maior força. Essa é uma excelente oportunidade de darmos vitória ao homem novo que traz consigo o diálogo, o respeito, a concórdia e a misericórdia.

Vanderlúcio Souza