16 de set de 2012

Defender a vida é muito pouco

Votar em um candidato porque ele é um defensor da vida é um argumento fraco na minha opinião, muito embora isto  seja determinante na escolha de um candidato. 


Ora,  a defesa da vida deveria ser a regra para todos os candidatos, pois um postulante que não é favorável à vida, não tem compromisso com o bem comum, e se a pessoa não tem compromisso com o bem comum nem poderia entrar na política. 


Sou exigente e quero que o candidato, além  de defensor  da vida tenha propostas, projetos, um passado idôneo  na vida pública, boa circulação nos vários segmentos da sociedade. Além de tudo quero eleger alguém que tenha uma visão muito clara sobre política, assim como ensina a Doutrina Social da Igreja. 

Embora a situação não seja favorável ainda acredito que é possível ter esperança na política. Ainda existem homens honrados. Poucos, mas existem. Homens que são como Sal da Terra, que dão sabor à vida, que trabalham para o bem comum.

Nenhum comentário: