19 de ago de 2012

E-farsas esclarece

É farsa
A Internet propaga milhões de informações que se espalham de modo rápido. No Facebook já tem se tornado popular -  e chato -  a divulgação de campanhas a busca de compartilhamentos de fotos de crianças doentes.

Nestas peças costuma-se informar que por cada compartilhamento o enfermo em questão recebe ajuda. Tudo é mentira. O Facebook não realiza esse tipo de campanha e a maioria das imagens reproduzidas são montagens ou descontextualizadas.

E-farsa

O site e-farsas especializou-se em desmontar as mentiras e mitos que circulam na internet. O site é passagem obrigatória para quem deseja desvendar algumas imagens inusitadas que aparecem na rede.


Um exemplo

A imagem acima já foi vista por milhares de pessoas, circula na rede desde 2007. Em uma das mais recentes aparições no Facebook o texto que acompanha a foto informa que se trata de uma campanha de arrecadação de fundos para esta criança que sofre de câncer.

Veja o que E-farsa revela:


O bebê mostrado na fotografia está com uma doença conhecida como Hemangioma.
De acordo com esse site especializado no assunto, hemangioma é uma formação benigna de capilares e vasos sanguíneos. É um tipo de tumor que ocorre com mais frequencia na infância e em 5% dos nascimentos. Na grande maioria dos casos, o tratamento é feito com aplicação de laser no paciente e a cura é satisfatória (na verdade, ficam algumas seqüelas e cicatrizes no local!).

A foto não é nova

Na verdade, a imagem do bebê com a deformidade que está circulando atualmente pelas redes sociais não é recente. Encontramos postagens da mesma foto em 2007, como nesse site (em árabe).
A criança se chama Samuel e nasceu no Vietnã e foi adotado em 2005. Hope Cantu Ettore, mãe adotiva do pequeno Samuel, explica que o garoto – agora com 7 anos de idade – passou por quatro reconstruções faciais, além de uma cirurgia no olho. Segundo o pesquisador Steve Williamson, a coloração que aparece nas mãos e no pescoço de Samuel na imagem é o resultado de um dos tratamentos médicos.

Como está o bebê atualmente?

O pequeno Samuel cresceu e está muito bem, obrigado! Podemos ver uma foto dele no álbum da sua família no Facebook.
O ato de repassar esse tipo de corrente existe há muito tempo na web. Há 9 anos, o E-farsas pesquisou uma história de outra criança com câncer. Na época, a notícia avisava que para cada e-mail repassado uma garotinha ganharia alguns centavos para ajudar em seu tratamento. Nem é preciso falar que o texto era falso, não é?
Hoje em dia, os métodos usados para repassar esse tipo de corrente mudaram: são “compartilhadas” e “curtidas” no Facebook, “retuitadas” no Twitter, etc.
Corrente do bebê com tumor no rosto no Twitter
Corrente do bebê com tumor no rosto no Twitter! (reprodução)
Não sabemos quais são as reais intenções de quem inicia uma corrente desse tipo, mas atrapalham em muito a vida do internauta que, muitas vezes, acaba repassando a informação falsa achando que está fazendo o bem.

Conclusão

Não repasse esse tipo de corrente. O Facebook não está ajudando ninguém com nenhum tratamento.

Nenhum comentário: